Polícia captura sete em refinaria de drogas em Itaquá

Sete integrantes de uma organização criminosa foram presos no início da manhã desta terça-feira (18) em uma refinaria mantida pelo grupo num galpão na Avenida Nazaré Paulista, no Bairro de Aracaré, divisa com Poá, em Itaquaquecetuba, uma das cidades de maior índice de criminalidade na Região do Alto Tietê. Foram apreendidos 23 quilos de cocaína e 77 quilos de maconha já prensada em formato de ‘tijolos’. O trabalho policial ocorreu na ‘Operação Outono’, promovida pelo seccional Marcos Batalha.

O delegado titular Francisco Del Poente disse na tarde de ontem a O Diário que coordenou a atuação dos seus policiais civis. A parte operacional ficou a cargo do investigador Marco Antônio do Nascimento e do escrivão Ismael Rogério Leme (ambos chefes). “Estávamos investigando há cerca de três meses, colocamos escutas telefônicas (grampo) e monitoramos a quadrilha”, disse Del Poente.

Segundo ele, a Guarda Municipal apoiou, preservando o local até a realização da perícia pela Polícia Científica e a remoção dos entorpecentes e outros materiais como embalagens plásticas e balanças, além de cadernos com informações sobre o tráfico de entorpecentes.

Ainda de acordo com a autoridade, “os 100 quilos de drogas correspondem somente a um dia de produção. Isso dá a ideia da dimensão dessa organização criminosa. A distribuição dos entorpecentes era feita em Itaquá, Mogi das Cruzes e outras cidades da Região, como Guarulhos, Arujá e Zona Leste de São Paulo”.

O delegado Denis Miragaia, assistente da Delegacia Central, elaborou o auto de prisão em flagrante por tráfico e associação criminosa em desfavor dos acusados Elias da Costa Sampaio, Israel Fernandes Barbosa, Daivid Jonas Mota, Renan dos Santos Felício, Caique Costa Santana, Wesley Santos Felício e Carlos Henrique da Hora.

As investigações que resultaram na blitz de ontem ainda tiveram a participação do delegado Alexandre Cavalca. Ele e os agentes capturaram o bando. Um dos marginais, de 23 anos, tentou reagir e teve de ser contido pela equipe.

Para Del Poente, “os 7 traficantes podem estar envolvidos em outros crimes cometidos em nossa Região, como roubos no comércio e casas. O Elias da Costa pode ser um dos líderes dos criminosos e estamos apurando também a participação dele em assaltos”.

O grupo no entendimento da Polícia Civil é organizado, considerando a quantidade de apetrechos encontrados na refinaria. Diariamente, o galpão recebia entorpecentes que dali, já preparados para a venda, eram entregues nas ‘biqueiras’ (ponto de venda de drogas). A partir das informações escritas sobre o comércio ilegal nos cadernos apreendidos, o delegado Del Poente acredita que será possível identificar e prender os outros membros do crime organizado.

Fonte: O Diário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *