ESPETÁCULO UNE CIRCO E CULTURA NORDESTINA EM ITAQUÁ

_mg_35611

Uma grande festa em celebração à cultura nordestina. A Trupe Baião de 2 convida a população de Itaquaquecetuba e região para um espetáculo divertido e com elementos da cultura popular como Maracatu, Coco, Frevo e Forró, ritmos tipicamente nordestinos que dão o tom das performances circenses e dança.  Formada por Guilherme Awazu e Rachel Monteiro, a Trupe Baião de 2 é um grupo de circo contemporâneo que vem ganhando espaço por ir além da diversão e exibição de habilidades técnicas, apresentando um trabalho potente, delicado e poético. No dia 14 de outubro, a trupe realiza duas apresentações de “Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” no Pátio da Feira, com entrada gratuita e com a presença de um intérprete de libras. Esta é uma montagem feita para ruas e praças, que tem como temática os retirantes nordestinos e seus (des)caminhos. O grupo realiza circulação do espetáculo através do edital ProAC (Programa de Ação Cultural) do Governo do Estado de São Paulo e Secretaria de Estado da Cultura e passa ainda por Mogi das Cruzes, encerrando a temporada que já contou com apresentações nas cidades de São Paulo, Suzano, Guararema, Ferraz de Vasconcelos e São Miguel Paulista.

Em “Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” as malas carregam os sonhos de um casal de retirantes que está construindo um novo lar. Malas, que convencionalmente estão presentes em encontros e despedidas, que levam objetos repletos de afetos e significados, mas também a esperança e expectativa de uma vida nova. A alegria, o trabalho, o cansaço e a esperança, se misturam às técnicas circenses em uma contagiante coreografia. A montagem de um lar, a reafirmação de um vínculo de amor e companheirismo. “O conceito de retirante pensado nesta criação é diferente dos retirantes retratados por Portinari, por exemplo, que evidenciou a ideia de sofrimento. Esta montagem trata de um casal sonhador e romântico, que busca sua felicidade em terras mais abastadas que as suas, sem nunca perder a alegria e nem deixar de sonhar”, comenta  Cleuber Gonçalves, que assina o figurino.

_mg_35111

“Para tratar de um tema tão íntimo e tão presente ao nordestino, tomamos muito cuidado, já que nossa intenção não era mostrar a dificuldade, nem o lado triste por ter de abandonar a terra querida. Mas sim a esperança, que dá forças a tantas famílias para migrarem em direção a uma nova vida. É uma homenagem aos nordestinos! Passaremos por municípios que possuem grande número de migrantes e acreditamos que desta forma, o circo adquire um papel importante de interação social, em um campo que pretende valorizar a cultura nordestina e discutir o preconceito”, explica Rachel Monteiro, cofundadora da trupe e volante de acrobacia.

O espetáculo tem clima de festa e começa com um cortejo ao som do maracatu, seguido de um número de perna-de-pau, realizado como uma grande brincadeira acrobática no ritmo do Coco, convidando os passantes para se achegar e conhecer uma história composta por elementos típicos da cultura nordestina. A cenografia, inserida no contexto da memória, utiliza objetos que fazem parte da memória afetiva e constituem um ambiente de conforto e segurança, como se aquelas pessoas os utilizassem para recriar o lar de outrora. O figurino tem referências dos festejos e da cultura retirante. Tecidos como juta, rendas e bordados se misturam para criar um visual alegre para esses personagens se deslocam em busca de um lugar melhor, sempre cheios de esperanças.

_mg_3384

“Toda essa presença do Nordeste em São Paulo e a nossa própria história, foi o que norteou a pesquisa desta obra. Desde os ritmos escolhidos, danças, até objetos e sua relação com o cotidiano tradicional nordestino”, conta Guilherme Ribeiro Awazu, cofundador da Trupe, acrobalance, perna de pau e malabarismos. E ele ainda complementa: “Se ressaltarmos a realidade da capital paulista, região para a qual vieram milhares de migrantes nordestinos, torna-se ainda mais relevante a necessidade deste tipo de valorização cultural, principalmente misturando-se à arte circense, que também possui essa mesma tônica de resgate de memória e nostalgia”.

“Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” conta com números como a Percha de equilíbrio, modalidade de virtuose e risco, pouco praticada no mundo, com uma técnica de origem familiar, passada de geração para geração e aprimorada no circo tradicional. E técnicas como: acrobacia em dupla, perna de pau, malabares, unindo habilidades como força, equilíbrio e manipulação de objetos. A direção artística é de Ronaldo Aguiar, importante artista da cena circense atual, diretor artístico dos Doutores da Alegria, que trabalhou com importantes nomes como Circo Roda, Circo Zanni, Circo Mínimo, Academia Brasileira de Circo e Universool Circus E.U.A. e que realizou um trabalho fundamental assessorando e situando os membros da Trupe, neste imaginário cheio de cores e danças. A direção de produção é de Marcia Vilela, da Arena Projetos.

As apresentações são gratuitas e contam com intérpretes de libras. Após a apresentação a trupe realiza bate-papo sobre o espetáculo e circo. Mais detalhes em: retirantes.wordpress.com/ e www.facebook.com/TrupeBaiaoDe2

SINOPSE

“Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” conta a história da chegada de um casal de retirantes nordestinos a uma nova terra que agora será chamada de lar. Da arrumação do solo para firmar a casa, até a organização dos objetos que são cheios de histórias, o espetáculo se presta a mostrar a felicidade e a esperança dos retirantes com a nova terra. Retirantes é um espetáculo de circo que também traz à cena elementos de dança e de música, tendo o retirante como tema principal.

Números: Percha de equilíbrio, Perna de Pau, Duo Acrobático e outros.

SERVIÇO:

Duração: 45 minutos – Classificação indicativa: livre – Entrada gratuita – Acessibilidade: Libras

14 de outubro – Itaquaquecetuba – Pátio da Feira – Estrada de Santa Isabel, n° 3.500 – 15h e 18h30

21 de outubro – Mogi das Cruzes – Praça Monsenhor Roque Pinto de Barros , 360 – 10h e 14h

 

Relacionadas

Leave a Comment