Quadrilha é detida em Itaquá vendendo passagem de trem mais barata

Suspeitos foram abordados em estação de Itaquaquecetuba. Eles vendiam cartões com passagem a R$ 3, diz polícia. Foto: Reprodução Tv Diário

Suspeitos foram abordados em estação de Itaquaquecetuba.
Eles vendiam cartões com passagem a R$ 3, diz polícia. Foto: Reprodução Tv Diário

Uma quadrilha que oferecia cartões da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) com recarga mais barata foi detida na manhã desta sexta-feira (2), em Itaquá. De acordo com a polícia, uma denúncia anônima levou a polícia ferroviária a descobrir a ação dos criminosos nas estações Aracaré e Itaquaquecetuba da CPTM.

Nesta sexta-feira, os policiais ferroviários pediram apoio da Polícia Militar para prender os suspeitos. O grupo formado por seis suspeitos tentou fugir depois que os policiais deram voz de prisão, enquanto eles ofereciam passagens mais baratas nas estações.

A suspeita da Polícia Civil é que a quadrilha trabalhava com cartões originais, mas com recargas clandestinas feitas em máquinas criadas só para a fraude. Desta forma, os suspeito conseguiam oferecer passagens no cartão a R$ 3,00, R$ 0,80 a menos do que o preço normal da tarifa.

Com os suspeitos foram apreendidos 39 cartões e R$ 1.448 em dinheiro. O caso foi encaminhado para a delegacia central de Itaquaquecetuba e de acordo com informações do delegado Francisco Del Poente, o suspeitos devem responder por fraude. Ainda de acordo com a polícia, os suspeitos serão ouvidos e liberados.

A CPTM informou que sempre faz fiscalizações para tentar evitar irregularidades e está colaborando com a polícia. A empresa completou que os bilhetes apreendidos são devolvidos para a EMTU, quando se trata do Cartão Bom ou SP-Trans ou quando for Bilhete Único.

Fonte G1

Relacionadas

2 Thoughts to “Quadrilha é detida em Itaquá vendendo passagem de trem mais barata

  1. fabio

    Parabéns aos agentes ferroviários e aos policiais que atuaram nesta ocorrência…

  2. José

    ate que enfim eu reclamei, varias vezes desse delito,

Deixe uma resposta para fabio Cancelar resposta