Van abandonada em Itaquá pode ter ligação com morte em SP, diz polícia

A Polícia Civil de Itaquaquecetuba informou nesta terça-feira (23) que uma van abandonada na cidade no dia 10 de setembro pode ter ligação com o assassinato de uma jovem de 27 anos em São Paulo. O caso está sendo investigado pelo delegado titular de Itaquaquecetuba, Francisco Del Poente e o Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) em São Paulo.

Carro usado por possível suspeito foi encontrado em Itaquaquecetuba (Foto: Cristina Requena/G1)
Carro usado por possível suspeito foi encontrado
em Itaquaquecetuba (Foto: Cristina Requena/G1)

Segundo a polícia,  a van pertence ao ex-namorado da balconista de 27 anos, que foi encontrada morta no bairro do Jaraguá, Zona Oeste da capital no dia 9 de setembro. No dia seguinte, o veículo do ex-namorado e principal suspeito do crime, foi localizado abandonado na Vila Virgínia, em Itaquaquecetuba, parcialmente carbonizado. O veículo pertence a uma empresa terceirizada que presta serviço para os Correios. A empresa, no entanto, informa que não possui vínculo empregatício com o suspeito.

De acordo com o delegado titular do Distrito Policial de Itaquaquecetuba, Francisco Del Poente, o caso ganhou destaque a partir do cruzamento de informações. “A partir da localização do carro fiz o cruzamento das informações e cheguei a suspeita de que o dono do veículo pode ter assassinado a ex-namorada. O interessante é que a princípio era um simples desaparecimento [da vítima], depois veio a localização do carro. No início era uma coisa isolada e veio a se tornar grave quando o desaparecimento do suspeito foi notado”.

Para o delegado, a polícia não descarta a possibilidade de solicitar gravações de monitoramento por câmeras de lojas e comércios do município para investigar o percurso do suspeito com a van dentro da cidade. Ainda de acordo com o delegado, a investigação do desfecho do caso está sob responsabilidade do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), já que o corpo da vítima foi encontrado em São Paulo.

Por nota, o DHPP informou que “o caso esta sendo investigado pela equipe B Leste. Até o momento foram colhidos depoimentos de testemunhas, diligências foram realizadas e a participação do ex-namorado é investigada. O caso segue em investigação”.

O caso
Segundo informações do boletim de ocorrência, o corpo da jovem de 27 anos, foi encontrado na noite do dia 9 deste mês, no bairro Jaraguá, zona oeste da Capital. Como nenhum documento de identificação foi encontrado com o corpo, a ocorrência foi registrada como homicídio qualificado de vítima desconhecida.

O DHPP foi acionado e compareceu ao local do encontro do corpo na companhia do Instituto de Criminalística (IC). O corpo da balconista foi encontrado com perfurações de faca na região do tórax, pescoço e algumas lesões na perna. Segundo registro do boletim de ocorrência, a vítima apresentava marcas de defesa. Um inquérito policial foi instaurado para apurar os fatos pelo DHPP.

O desaparecimento da balconista, no entanto, foi registrado por uma das irmãs, no dia seguinte ao assassinato. Ela disse à polícia que a vítima saiu de casa para encontrar com o ex-namorado, de quem havia se separado há cerca de três ou quatro meses, e que ele é violento e dependente químico.

A irmã da vítima contou à polícia que o ex-cunhado não aceitava o fim do relacionamento e chegou a ameaçar a balconista de agressão. O carro que o suspeito usava para trabalhar foi encontrado em Itaquaquecetuba no dia 10, com o interior totalmente carbonizado.

Ainda segundo informações contidas no boletim de ocorrência, uma funcionária do Correios, empresa em que o suspeito trabalha, informou à polícia que ele saiu do Jaguaré para ir para casa, em Pirituba.

Essa funcionária do Correios disse que a van não transportava mercadorias e que estava vazia quando o funcionário saiu. A perícia foi requisitada para examinar o veículo.

De: G1

Relacionadas

Leave a Comment